A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Repetido

(Victor Tales)

Um relógio. Aquele ócio. Agora era marcado por tempo. Tic-tac, hora de acordar, Tic-tac, hora de comer, Tic-tac, hora de trabalhar, Tic-tac, hora de almoçar, Tic-tac, hora de trabalhar, Tic-tac, hora de conversar, Tic-tac, hora de novela, Tic-tac, hora de transar, Tic-tac, hora de dormir.

Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac, Tic, tac.

Abri o peito. Retirei meu coração de lá. Coloquei o relógio para funcionar no lugar. Agora não sofro de amores decorrentes nem de dores de dente, tudo tem seu tempo de ir e de acabar.

  • 2214 visitas desde 15/07/2006
menu
Lista dos 2201 contos em ordem alfabética por:
Prenome do autor:
Título do conto:

Últimos contos inseridos:
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com.br