A Garganta da Serpente
Cobra Cordel literatura de cordel
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Maria e o Homem Perfeito

(Rouxinol)

Era uma vez Maria
Que nunca desencalhava
E achou que ia ficar pra titia

No auge dos seus 15 anos
Maria resolveu se apaixonar
Escolheu, escolheu, escolheu
Mas o homem ideal
Não conseguia achar

Maria então foi falar com Joana
Pra ver se ela sabia
Como arrumar um banana
Joana então
Foi simples e direta:
"Maria, basta ser esperta"

Maria então
Ficou na mesma posição
Ela queria apenas
Um bom maridão

Maria foi na feira
Fazer as compras do mês
Mas também foi ver
Quem era o homem da vez
Procurou, procurou, procurou
Mas nenhum lhe agradou
Só tinha narigudo
Dentuço
Ou fedido
E ninguém queria lhe fazer o pedido

Resolveu então ir pra Night
Encontrar quem sabe um dançarino
Ou um dono de boate
Dançou, bebeu, paquerou
Mas o máximo que apareceu
Foi um mísero vendedor

Muito tempo se passou
E nada de a Maria se arranjar
Mil buquês ela pegou
Mas o homem perfeito é custoso de arrumar
A Maria está é cheia de esperança
De nunca ficar pra titia
Espera o tempo da bonança
Quando chegar seu dia
De dizer "eu achei o marido perfeito
e eu digo é dito e feito,
ele vai fazer minha alegria!"

2774 visitas desde 24/03/2008
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com.br