A Garganta da Serpente

Lenin Bicudo Bárbara

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Sensibilidade

Pela pele que noutra pele avança
Não passa a vírgula de um pensamento,
Apenas passa o espasmo do momento
Que irá se desfazer numa lembrança.

O corpo é feito de átomos e vento,
E, como os átomos, o corpo dança,
Atraído para o corpo que o alcança,
Na harmonia febril do sentimento.

E os corpos, que na pele acham seus termos,
Encontram-se e se pegam como enfermos
Que atiçam uns dos outros os sentidos.

Mas é fatal e é triste o que sucede:
A mão que avança é a mão que se despede
No vendaval dos corações partidos!


(Lenin Bicudo Bárbara)


voltar última atualização: 21/10/2006
23074 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente