A Garganta da Serpente

Lenin Bicudo Bárbara

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

À deriva

Pego nas pernas tuas, muito nuas,
Mais nuas do que eu pude imaginá-las;
Têm a textura, as pernas muito tuas,
E o mistério de sedas e de opalas...

Ali, as minhas mãos viram faluas,
E a tua pele, o mar a carregá-las
Na correnteza que há nas pernas tuas,
Mais tuas do que eu pude imaginá-las...

E as minhas mãos, que já não são mais minhas,
Seguirão pelas ondas, distraídas,
Que o mar das tuas pernas me concede,

Até tu decidires (pobrezinhas!)
Largá-las nalgum mar de despedidas,
Envoltas d'água, mas mortas de sede!


(Lenin Bicudo Bárbara)


voltar última atualização: 21/10/2006
23070 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente