A Garganta da Serpente

Lenita Gonçalves

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

PARALELO

Os dias não o são fáceis
tratam-se de manhãs ocas
eco do que 'inda não foi dito
e se o disse - não há tempo

As noites não o são longas
curtas como o fio da navalha
cega, nada mais corta
e se o corta - não sangra

A vida lhe é passageira
insuficiente como pólvora
pavio aceso que não explode
e se há chama - apenas arde

A morte lhe é incógnita
não tarde e nem lhe antecede
é fria quando seria quente
e se o é - já não importa


(Lenita Gonçalves)


voltar última atualização: 16/03/2008
11990 visitas desde 01/07/2005

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente