A Garganta da Serpente

Lenita Gonçalves

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

AMANHECER

a palavra não vem do ovo
não se choca, não se bota
(e nenhum galo tece a manhã)

a letra não lhe faz parte
não é gema, nem lhe arde
(nenhum galo precisa d'outro)

o verso não dá liga
não é clara, nem é claro
(nenhum galo canta hoje)

a prosa não vira bolo,
não é ponto, nem é torta
(nenhum galo me diz nada)

a história nem existe
não há receita ou ingrediente
(o que há são galos nessa manhã muda)


(Lenita Gonçalves)


voltar última atualização: 16/03/2008
12081 visitas desde 01/07/2005

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente