A Garganta da Serpente

Lenita Gonçalves

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Frenesi

Lábios
Carnudos, úmidos
Liquefaz-se em delírios
Calor vaporizante
Pérola enrubescida
Entre dentes, língua
Boca
Geme, louca
Pelo cio enfurecida
Revigora, mingua
Sussurra emputecida
Olhar penetrante
Nua
Apalpar excitante
Lacrimeja urra
Orgasmo alucinante
Entrega pervertida
Desfalecer sexual
Tua
Ato finaliza, alisa
Pisa, agita, enfudece
Uretra expelidora
Arquejante feminino
Estocar-se inquiridora
Ejacula
Rompe, emudece
Lençóis encolhidos
Sorvidos, esquece
Serpente em gemidos
Devora, enlanguesce
Pérola
Duplicada, excitada
Tuas marcas, juntos
Sádicos masoquistas
Estupra fere, goza
Comidos finalistas
Tua


(Lenita Gonçalves)


voltar última atualização: 16/03/2008
11992 visitas desde 01/07/2005

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente