A Garganta da Serpente

Lili Môgone

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Apenas dor

Prisioneiro dessa alma que insiste em sentir tua falta.
Que insiste, em te ver, nos mais pavorosos sonhos que tento me esconder.
É você, sempre você. Essa razão que já se foi e me faz querer morrer.
Pra onde mais posso correr se não existem caminhos a percorrer.

Nenhum sonho, nenhuma esperança.
Por que me repudia porque, me faz triste, apenas com essas lembranças.
Neste escuro, que me faz sossegar, que me afasta em instantes.
Penetra em minha alma, uma simples e vaga luz, que daqui me faz distante.

"Cadê você, volte a viver em um mundo de esperança" Dizem os anjos do céu.
Como viver, sem razão, tudo é desalento.
Esses lugares, essas pessoas, tudo distante do meu pensamento.

Não são lágrimas. Sangue que espirra de meu coração.
Ah altas horas em que a lua vagueia...
Já não importa mais o sentimento que anseia.
Nada me pertence... A não ser essa luz sombria em meu ser.


(Lili Môgone)


voltar última atualização: 01/05/2006
5623 visitas desde 01/05/2006
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente