A Garganta da Serpente

Lilian Farias

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

IMPURA

Flores inconstantes brotam do chão
Minha alma impura e devassa
Precisa do pecado!
Amarraram minhas mãos...
Subi na mesa e agarrei-me ao lustre
Jogaram água gelada
VAPOR!
Renderam os mortos...
Eles são frágeis!
Despercebidos
Acordaram a natureza...
Os leões foram os primeiros
Tic-tac é o tempo
AGORA
É só questão de tempo!


(Lilian Farias)


voltar última atualização: 15/03/2011
5527 visitas desde 15/03/2011

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente