A Garganta da Serpente

Madalena Barranco

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

LIMITE DA RAZÃO

A luz
escoa
pelas veias
e se balança
nas vigas
da alma.

A loucura
se espatifa
no poço
e bebe
a lama do fundo.

A alma
da superfície
se arranha
com o limite
de uma razão.


(Madalena Barranco)


voltar última atualização: 19/12/2007
11607 visitas desde 24/03/2006
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente