A Garganta da Serpente

Paulo Garcia

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

AINDA HÁ

Ainda bebo poesia nas noites mal dormidas.
Ainda como margaridas.
Ou margareths atrevidas...

Ainda respiro teu suor.
Ainda acredito no amor...
Só não penso mais em córregos.
Prefiro correr lado a lado.
E me sentir saciado com esses olhos e essa boca.
Minha língua é portuguesa, africana, espanhola...

Mas ainda bebo poesia.
E ainda faço a minha hora...


(Paulo Garcia)


voltar última atualização: 07/08/2003
7318 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente