A Garganta da Serpente

Tereza Claudino

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

RIBALTA

O DESTINO NOS PODOU EM FLOR
POR SONHOS INTERROMPIDOS, FICOU A DOR

SONHOS PERDIDOS?
NÃO!
APENAS NO CORAÇÃO COMO UM TESOURO,
EM SEGREDO GUARDADO!

COM CARINHOS LAPIDADOS
NA RIBALTA DA VITÓRIA, COMEMORADOS

SOB ORQUESTRA
COMO BAILARINOS...

NÃO TÃO, E TÃO MENINOS
NÃO TÃO, E TÃO MENINAS

EM SONHOS ALCANÇADOS,
DIVINA ESPERANÇA...,
CRIANÇA EM RIBALTA

AO SOM, BAILANDO LIVRES
QUEM SABE AO SOM SE STRAWS ******************
VALSANDO A PAZ
DIVINA PAZ...!

(Tereza Claudino)


voltar última atualização: 24/08/2010
12154 visitas desde 09/10/2008

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente