A Garganta da Serpente

Thiago Amorim

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Gratidão

Para livrar-me só de um mau estado
puseste sobre ti minha sentença
e, desde que puseste, em dor intensa
sofreste tudo por Amor... calado.

Mal sustentando aquela cruz imensa
pelo teu povo hostil foste ultrajado...
e eu via em cada açoite a minha ofensa,
em cada zombaria o meu pecado!

E esta alma vil, perdida e condenada,
por teus nobres intentos, sua sorte
ali viu se tornar afortunada:

porque naquela cruz, que era só minha,
pagaste em dobro com teu sangue à Morte
o alto valor da dívida que eu tinha.


(Thiago Amorim)


voltar última atualização: 06/01/2009
10943 visitas desde 23/10/2008

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente