A Garganta da Serpente

Esopo

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

O asno e os sapos

(Esopo)

Um dia, há muito tempo, um pobre asno, muito humilde, seguia por uma trilha com uma carga de lenha no dorso. De repente, ao dobrar uma curva no caminho, deu com um charco profundo. Desequilibrando-se ao peso da carga, escorregou e foi cair direto no brejo. Apesar de se debater muito, todo aflito, não teve sorte e afundou até o pescoço na lama, por entre um bando de sapos saltitantes.

- Pobre de mim! - gemeu o asno, e começou a zurrar chorosamente. Depois soltou um longo suspiro, como se seu coração estivesse prestes a partir-se em dois.

Os sapos pulavam e chapinhavam à volta dele, enquanto o asno afundava cada vez mais no lamaçal. Até que um deles se virou para o infeliz animal e disse:

- Meu amigo, se você faz tanto drama só porque de repente se vê dentro de um brejo, o que não faria se vivesse aqui o tempo todo, como nós?

O hábito torna as coisas familiares e fáceis para nós.

3349 visitas desde 31/05/2006
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente