A Garganta da Serpente

Fedro

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

O cavalo e o javali

(Fedro)

Todos os dias o cavalo selvagem saciava sua sede num rio pouco profundo.

Ali também acudia um javali que, ao remover o barro do fundo com o focinho e as patas, turvava a água.

O cavalo lhe pediu que tivesse mais cuidado, mas o javali se ofendeu e o chamou de louco.

Terminaram olhando-se com ódio, como os piores inimigos.

Então o cavalo selvagem, cheio de ira, foi buscar o homem e lhe pediu ajuda.

- Enfrentarei essa besta - disse o homem - mas deves me permitir montar em teu lombo.

O cavalo concordou e lá foram, em busca do inimigo.

Encontraram-no perto do bosque e, antes que pudesse se ocultar na parte mais densa, o homem lançou sua javalina e o matou.

Já livre do javali, o cavalo foi até o rio para beber em suas águas claras, certo de que não voltaria a ser incomodado.

Mas o homem não pensava em desmontar.

- Alegro-me ter ajudado - disse - Não só matei essa besta mas também capturei um esplêndido cavalo.

E, ainda que o animal tenha resistido, obrigou-o a fazer sua vontade, colocou-lhe sela e lhe fez de montaria.

Ele, que sempre havia sido livre como o vento, pela primeira vez em sua vida teve que obedecer a um senhor.

Estando selada sua sorte, desde então se lamenta noite e dia:

- Tonto! Os incômodos que me causava o javali não eram nada comparados com isto. Por aumentar um assunto sem importância, terminei sendo escravo!

Às vezes, no afã de castigar o dano que nos fazem, nos aliamos com quem só tem interesse em nos dominar.

8652 visitas desde 23/09/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente